Gestão Inclusiva - Reconhecimento Profissional

Publicado em 08/07/2013
Gestão Inclusiva - Reconhecimento Profissional

O auxiliar de produção Pedro Vitor de Souza da Silva, 26 anos, nasceu totalmente surdo após a mãe ter rubéola durante a gestação. Em 2011, ingressou na Uniplast, indústria de perfis termoplásticos de Joinville. Esta não é sua primeira experiência profissional, mas diz ser a que mais gosta. Ao terminar recentemente o curso de moldador de plástico, recebeu proposta para trocar de emprego e ganhar mais, só que ele preferiu ficar por se sentir bem ali.
O coordenador de gestão de pessoas, Rosalvo Lima Borba, atribui a satisfação de Pedro ao fato de executar uma função adequada ao seu perfil profissional e por ter recebido apoio da família, que acompanhou de perto a fase de adaptação, sendo até intérprete. A empresa mantém contato periódico com os familiares dos profissionais com deficiência.
Como a Uniplast não tem intérprete de libras, o bloco é o companheiro inseparável de Pedro, que realiza uma atividade cujo aprendizado é bastante visual. O supervisor, Osni Steiner Jr., diz que, para aprender novas tarefas, Pedro observa como ele faz primeiro.
Foco, capacidade de observação, conhecimento técnico e a determinação o tornam um funcionário destacado, com potencial de crescimento na carreira, segundo Osni.
Com 216 funcionários, oito deles com algum tipo de deficiência, a Uniplast ultrapassou em um profissional a cota estipulada em lei. A esposa de Pedro, também com deficiência auditiva, será a próxima contratação da empresa.

 

REFERENCIA: NUNES, Claudine. Gestão Inclusiva. A Noticia. Santa Catarina, 6 e 7 de Julho de 2013.  Negocios & Cia. p.4 e 5.